Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Microsoft Surface Laptop, aquela máquina

A Microsoft apresentou a resposta ao Macbook da Apple, o novo Microsoft Surface Laptop, um portátil leve, muito fino e de design elegante.

1.jpg

Este portátil terá um ecrã de 13,5 polegadas FullHD que, segundo a marca norte-americana, é o mais fino LCD até agora criado num computador deste tipo. Para além disso, garante a sua extrema nitidez, fruto dos seus 3,4 milhões de pixeis, suportada pela tecnologia PixelSense.

2.jpg

Com um peso de 1,25 Kg, disponibilizará um CPU Intel Core i5 ou Core i7 e uma memória de armazenamento que poderá ir até 1TB SSD. O novo Surface será fabricado em 4 cores, terá um teclado em Alcântara e a sua bateria promete 14,5 horas de autonomia.

Com um pedaço de sonho no pulso

Já dizia Lavoisier que "Nada se perde, tudo se transforma". E este é um dos casos paradigmáticos em que se comprova taxativamente a afirmação.

Que diria se à falta de poder andar ao volante de um sonhado Porsche 911, pudesse trazer no pulso um pedaço desse mesmo sonho?

Pois é, a dinamarquesa REC Watches pegou em peças retiradas de Porches 911 (infelizmente, irreparáveis!) e reciclou-as, criando uma coleção de relógios que, na verdade, serão um sonho para amantes de automóveis, mas também de relógios.

Mas a ligação ao icónico modelo alemão não se fica por aqui, já que, no design, são várias as referência aos elementos característicos da marca. Para além disso, cada relógio será um exemplar único, pois ostentará o número de identificação do veículo original das peças que lhe estiveram na origem. Para além disso, cada relógio será acompanhado por um ”Story Card”, que documentará a história do Porsche 911 para que se possa aprender um pouco mais sobre o carro que, agora, faz parte do relógio que se ostenta no pulso.

Curioso(a)? Melhor do que imaginar, só ver. Eis o resultado final. 

1.jpg

Não havia necessidade. Ou havia?

Todos nos habituámos à constante mudança. Vivemos, desde sempre, com ela. Agradecemos, até, de uma maneira geral, o que essa mudança nos oferece.

Uma das maiores mudanças dos últimos tempos, se não a maior, foi o avanço tecnológico e tudo o que ele alterou no dia a dia das pessoas. Está tão enraízado que já nem damos conta da sua presença nem o valorizamos, devidamente.

Mas (há sempre um mas nestas coisas), será que não podíamos, por vezes e em situações muito pontuais, ficar estagnados, pura e simplesmente ficar quietos e não mexer, não querer evoluir? É que, por vezes não há necessidade de estragar o que está bem feito. Não digo que possa acontecer muitas vezes, mas há algumas. E esta é uma dessas, raras, situações.

A Tag Heuer, conhecida e reconhecida fabricante de obras-primas que dão horas, lançou o seu segundo smartwatch, o Connected Modular 45.

2.jpg

Bem, pensa-se, se a marca lançou o segundo quer dizer que foi bem sucedida no lançamento do primeiro. Todavia, não é por errar uma vez, que se vai deixar de errar uma segunda vez. Ainda para mais, quando não se considera um erro, o que se fez primeiro.

Pois bem, por aqui apreciam-se os Tag Heuer originais (na pura acessão da palavra), com todas as rodas dentadas e mecanismos característicos do interior de um relógio, sem mudanças de visual ao passar os dedos pelo mostrador ou pelos elementos apensos ao mesmo.

3.jpg 

4.jpg 

6.jpg

Como forma de respeito por todos os que diferem da mera opinião aqui manifestada, só se acrescenta que o relógio continua a ser lindo, tal como se pôde ver. Melhor, torna-se ainda mais primoroso dado que cada um pode fazer o seu relógio à sua medida e gosto, pois o modelo aposta sobretudo na personalização exterior, sem esquecer o que se procura neste tipo de aparelhos: uma panóplia imensa de funcionalidades, neste caso do Android Wear. Ao todo, são 56 as combinações diferentes que o Connected Modular 45 proporciona. E há opções para todos os gostos, para eles e para elas: mostradores em ouro, diamante, alumínio, titânio e cerâmica e pulseiras em borracha, couro ou cerâmica.

1.jpg

O mostrador, que mede 45 milímetros, é um ecrã AMOLED de 1,39 polegadas. Dentro da sua caixa, estão 512 MB de memória RAM e 4 GB de armazenamento. Este equipamento integra, ainda, um sensor GPS e NFC, para pagamentos com o smartwatch. O sistema operativo é o Android Wear 2.0 que traz todas as suas funcionalidades: sistema de navegação passo-a-passo, consulta de mensagens de texto, do calendário ou Google Assistant. Um dos pontos fortes desta máquina, são as 25 horas que a sua corda, perdão bateria, promete durar.