Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Graça Morais: cem ressonância(s)

E mais uma tarde dedicada à arte. Mais propriamente à pintura de Graça Morais.

1.jpg

São mais de 100 as obras que se podem ver, rever, apreciar ou analisar, minuciosamente ou mais ao de leve. Quem o escolhe é o visitante, numa experiência imperdível e única. Diria mesmo que cometendo a feliz "loucura" de ir mais de uma vez, que será sempre uma vivência nova e sem antecedentes.

Ressonâncias: da voz e dos ecos é o nome da exposição, patente na Fundação Champalimaud, que reúne, para além de uma centena de quadros já conhecidos e propriedade do coleccionador José Pedro Paço D'Arcos, ainda, mais dez obras inéditas de Graça Morais.
E para todos aqueles que veem uma ida a uma exposição destas como um ato de snobismo ou elitismo (seja lá o que isso queira dizer na prática) ficam a saber que, no meio de tal acervo, encontrarão referências bem conhecidas à atualidade, como é o caso da situação presente nos Estados Unidos da América, após a eleição de Donald Trump, ou o sucedido com o jovem Rúben Cavaco, que foi agredido pelos filhos do ex-embaixador iraquiano em Portugal. É caso para dizer que, aqui, temos cultura para todos os gostos e feitios. Obrigado, Graça, por não deixar ninguém sem a sua quota artística!