Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Não havia necessidade. Ou havia?

Todos nos habituámos à constante mudança. Vivemos, desde sempre, com ela. Agradecemos, até, de uma maneira geral, o que essa mudança nos oferece.

Uma das maiores mudanças dos últimos tempos, se não a maior, foi o avanço tecnológico e tudo o que ele alterou no dia a dia das pessoas. Está tão enraízado que já nem damos conta da sua presença nem o valorizamos, devidamente.

Mas (há sempre um mas nestas coisas), será que não podíamos, por vezes e em situações muito pontuais, ficar estagnados, pura e simplesmente ficar quietos e não mexer, não querer evoluir? É que, por vezes não há necessidade de estragar o que está bem feito. Não digo que possa acontecer muitas vezes, mas há algumas. E esta é uma dessas, raras, situações.

A Tag Heuer, conhecida e reconhecida fabricante de obras-primas que dão horas, lançou o seu segundo smartwatch, o Connected Modular 45.

2.jpg

Bem, pensa-se, se a marca lançou o segundo quer dizer que foi bem sucedida no lançamento do primeiro. Todavia, não é por errar uma vez, que se vai deixar de errar uma segunda vez. Ainda para mais, quando não se considera um erro, o que se fez primeiro.

Pois bem, por aqui apreciam-se os Tag Heuer originais (na pura acessão da palavra), com todas as rodas dentadas e mecanismos característicos do interior de um relógio, sem mudanças de visual ao passar os dedos pelo mostrador ou pelos elementos apensos ao mesmo.

3.jpg 

4.jpg 

6.jpg

Como forma de respeito por todos os que diferem da mera opinião aqui manifestada, só se acrescenta que o relógio continua a ser lindo, tal como se pôde ver. Melhor, torna-se ainda mais primoroso dado que cada um pode fazer o seu relógio à sua medida e gosto, pois o modelo aposta sobretudo na personalização exterior, sem esquecer o que se procura neste tipo de aparelhos: uma panóplia imensa de funcionalidades, neste caso do Android Wear. Ao todo, são 56 as combinações diferentes que o Connected Modular 45 proporciona. E há opções para todos os gostos, para eles e para elas: mostradores em ouro, diamante, alumínio, titânio e cerâmica e pulseiras em borracha, couro ou cerâmica.

1.jpg

O mostrador, que mede 45 milímetros, é um ecrã AMOLED de 1,39 polegadas. Dentro da sua caixa, estão 512 MB de memória RAM e 4 GB de armazenamento. Este equipamento integra, ainda, um sensor GPS e NFC, para pagamentos com o smartwatch. O sistema operativo é o Android Wear 2.0 que traz todas as suas funcionalidades: sistema de navegação passo-a-passo, consulta de mensagens de texto, do calendário ou Google Assistant. Um dos pontos fortes desta máquina, são as 25 horas que a sua corda, perdão bateria, promete durar.

 

1 comentário

Comentar post