Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Não sou anti-nada, sou pró-Cantinho do Avillez

Nunca é tarde para repudiar um ato bárbaro, imoral e atentatório da liberdade de expressão. Falo da vandalização de que foi alvo a fachada do restaurante "Cantinho do Avillez", no Porto.

Avillez (2).jpg

Propriedade do "estrelado" Chef José Avillez, este espaço foi vandalizado pelo movimento pró-palestiniano BDS, que se opôs à presença daquele Chef no "Round Tables", um evento dedicado à gastronomia, que se realizou em Telavive, Israel, por achar que assim se estaria de acordo com a ocupação da territótio Palestiniano por parte de Israel. 

O ato em si já é cruel, insano e absurdo, mas lutar pela liberdade de um povo suprindo as liberdades de outro, parece-me de todo um ato onde impera uma crónica falta de inteligência. Literalmente, não tem qualquer nexo a aplicação do bem português provérbio "Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço".

Para responder a este desmesurado ato, nada melhor do que fazer, num ato de liberdade pura, uma visita ao "Cantinho do Avillez" e degustar as suas maravilhas.

Numa frugal escolha, chegaram à mesa uns deliciosos camarões à Bulhão Pato, seguidos de umas lascas de bacalhau, «migas soltas», ovo BT e azeitonas explosivas. Para fechar a refeição, um Toucinho do Céu com sorvete de framboesa.

Uma refeição reduzida a uma palavra: soberbo!

Reconheço que se não fosse este infeliz episódio, dificilmente passaria, por estes dias, pelo "Cantinho do Avillez". Por isso, resta-me apenas dizer: obrigado BDS e viva a liberdade!