Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Eu vou indo

Porque alguém tem de ser o primeiro a explorar, ver ou partir para se poder chegar, conhecer ou usufruir. Eu vou indo...

Para mim é uma cataplana de frango

Um frango/galinha pula para dentro de uma panela para cozer em água e sal.

(Se se usar galinha, a água da cozedura poderá servir para uma boa canja. Caso não seja essa a intenção, não é que precise, mas se se pretender adicionar mais sabor ao caldo, junta-se cenoura, alho francês, talo de aipo, louro e ervas aromáticas frescas.)

Depois de cozido, ossos para um lado, carne desfiada para outro.

Cataplana.jpgNuma cataplana, um fio de azeite, chama por cebolas cortadas em finas rodelas e alhos bem picados.

Juntam-se-lhes tomates aos cubos, louro e pimentos de todas as cores em tiras.

Envolve-se bem e chegou a hora de o frango desfiado se juntar à festa.

Tempera-se com pimenta e deixa-se tomar sabor.

O caldo da cozedura coloca-se em posição e salta para dentro da cataplana que, automaticamente, se fecha até à hora de provar (e retificar os temperos se for preciso) e servir.

Acompanhamento VIP: batatas fritas.

 

De volta à caverna

A arquitetura moderna é isto... É fazer do velho, novo; do inútil, uma utilidade; do banal, um luxo; do desprezado, um desejo; do impensável, um objetivo.

Quem é que se lembraria de construir uma casa a partir de uma caverna? Mais, aproveitando essa mesma caverna como parte integrante da casa? Pois é, essa casa existe. Fica em Espanha e chama-se House Cave.

Localizadas num terreno calcário e inclinado, as cavernas eram utilizadas, tradicionalmente, para a agricultura e pecuária, como arrumos ou abrigos. Hoje, estas formações geológicas foram reabilitadas e transformaram-se em sui géneris habitações rurais.
Construída a partir das paredes rochosas originais, esta casa é toda ela uma área de grande riqueza espacial e material, num diálogo fluido e contínuo entre as condições preexistentes e a nova arquitetura, num respeito claro pelo meio envolvente.

Deste diálogo resultou uma nova experiência espacial que valoriza a natureza tectónica da área através da utilização de novos elementos arquitetónicos. Volumes limpos e tranquilos, espaços luminosos e amplos conjugam-se com materiais como a pedra, o betão ou o mármore. Grandes janelas deixam entrar a luz natural, numa casa onde os móveis de madeira dão um toque de calor a esta House Cave.

Cave.jpg

Cave1.jpg

Cave2.jpg

Cave3.jpg

Cave4.jpg

Cave5.jpg

Cave6.jpg

Cave7.jpg

Cave8.jpgCave9.jpg

Cave10.jpg

Cave11.jpg

Cave12.jpg

Cave13.jpg

Cave14.jpg

Cave15.jpg

Wraith B210: um avião no asfalto

A Confederate, conhecida marca de designers e criadores de motos, mostrou, mais uma vez, a sua originalidade e visão futurista com o modelo Wraith B210.

A exclusividade da marca salta à vista, mas este não é apenas um projeto visual. É no asfalto que este "brinquedo" mostra toda a fibra de que é feito, oferecendo um excelente desempenho ou não fosse "puxada" por um motor (devidamente modificado) JIMS de 1967cc, com 125 cavalos de potência. O chassi inspirado no design das aeronaves e a coluna de fibra de carbono arqueada fazem o resto.

Um equilíbrio perfeito entre detalhe, bom gosto e engenharia de (extrema) qualidade. 

Confederat.jpg

Confederat1.jpg

Confederat2.jpg

Confederat3.jpg

Confederat4.jpg

Um casaco improvável

Um casaco de cabedal é um clássico em qualquer guarda-roupa. Mais desportivo ou mais formal, dá sempre um toque de singularidade a qualquer estilo e adequa-se às mais variadas situações.

O desafio do momento - também na roupa, tal como na arquitetura ou no design - é conseguir transformar e conjugar peças de realidades tão diferentes com uma utilização diária, tal como o consegue este casaco de motocross da Porsche Design.
Inspirado no desporto que lhe confere o nome - o motocross - esta peça facilmente remete para esse universo, com destaque para os detalhes ao longo dos braços, visivelmente inspirados nesse desporto motorizado, mas que tão bem ligam com a aparência simples, prática e cuidada do restante casaco.

Feito de pele de cordeiro, é um casaco flexível e suave que promete não apresentar marcas de desgaste mesmo após vários anos de uso.

Fazendo jus à marca, este não é apenas um casaco, mas uma peça de património que pode ser vestida.

Porsche.jpg

Motocross Jacket Style | Porsche

Destino: Patagónia, o fim do mundo

"Vou ao fim do mundo."

Uma frase assim dita, pode ser interpretada das mais variadas maneiras. Não será um copo meio cheio ou um copo meio vazio, mas andará lá perto, tal a disparidade de sentidos que daquela afirmação podem advir.

Mas, referir de antemão, "Vou à Patagónia", retira, desde logo, a singularidade e, porque não dizê-lo, a espetacularidade do destino da viagem.

Ambicionado por uns, "nem pensar", dirão outros, a Patagónia é um daqueles destinos que divide o coração e a razão.

Localizada no extremo sul do continente americano, a Patagónia vê as suas temperaturas oscilarem constantemente, podendo-se experimentar as quatro estações do ano num só dia. Esta variação deve-se à influência dos seus dois clima: a oeste dos Andes predomina um clima de montanha (frio e húmido), enquanto a leste há um clima de estepe (frio e seco). Também os ventos propiciam esta variação, mudando constantemente e podendo passar dos 20 km/h para rajadas de 110 km/h. Em poucos minutos, estes ventos fortes podem escurecer o céu ou dispersar grandes nuvens de tempestade.

Território desconhecido e selvagem, a Patagónia é praticamente desabitada. As suas largas planícies cobertas de erva, servem de pasto a numerosos rebanhos e manadas, e fazem companhia às montanhas que, num ápice, são interrompidas por vales, lagos, fiordes e braço de água glaciares. Grande parte do território está ocupada por gigantescas massas de gelo, onde se concentram algumas das maiores reservas de água doce do mundo.

Como não podia deixar de ser, neste santuário natural, a vida selvagem é abundante e surpreendente, dando a conhecer vários exemplos de animais e plantas que, durante milhares de anos, se adaptaram para resistir aos ventos fortes, temperaturas baixas e chuvas incessantes. 

Senti esta chamada instintiva ao olhar para lá das janelas deste hotel, que, num instante, passou para segundo plano. Segundo? Quem é que quer saber do hotel quando se acorda e se dá com os olhos nisto?

Patagónia.jpg

Patagónia2.jpg

Patagónia3.jpg

Patagónia4.jpg

Patagónia5.jpg

Patagónia6.jpg

Patagónia7.jpg

Patagónia8.jpg

Patagónia9.jpg

Patagónia10.jpg

Patagónia11.jpgPatagónia12.jpg

Patagónia13.jpg

Patagónia14.jpg

Pág. 1/3